Como a crise do Coronavírus pode afetar os Fundos Imobiliários?

Falha no carreagmento da imagem :(

Como a crise do Coronavírus pode afetar os Fundos Imobiliários?

O investimento em FIIs (Fundos Imobiliários), oferecem todos os benefícios de um imóvel físico, além de vantagens como a liquidez imediata. As expectativas para 2020, é que essa área continue crescendo. Sendo assim, esse pode ser um bom momento para investir, vez que o setor sofreu uma forte desvalorização.

Quer saber sugestões de Fundos de Investimentos Imobiliários para sua carteira e como os FIIs podem ser impactados pela crise do Coronavírus? Veja o guia completo que a Lucrei preparou para você:

·         O que é e como funcionam os FIIs;

·         Retorno dos Fundos Imobiliários;

·         Fundos Imobiliários que mais se valorizaram em 2019;

·         Melhores Fundos Imobiliários para investir em 2020;

·         O Coronavírus pode afetar os FIIs;

·         Como o Coronavírus pode impactar os fundos imobiliários;

·         Setor mais prejudicado;

·         Setor menos prejudicado;

·         Recomendações para o atual momento.

O que é e como funcionam os Fundos Imobiliários?

Os FIIs são carteiras que possuem imóveis físicos ou ativos do setor. Em resumo, podem ser classificados em fundos de tijolo (o imóvel propriamente dito), fundos de papel (LCIS e CRIs) ou fundos híbridos. Ao investir em Fundos Imobiliários, o investidor se torna cotista do empreendimento, podendo negociar suas cotas na bolsa de valores quando quiser.

Há também o auxílio de uma gestão especializada, que acompanha o desempenho e faz as mudanças necessárias com o objetivo de obter os melhores resultados. Esse gestor é responsável pelo repasse dos rendimentos, reinvestimentos e pagamento dos tributos e a gestão do imóvel.

Portanto, o investimento em FIIs é uma boa escolha para quem busca aplicações sem muitas burocracias.

Como funciona o retorno dos Fundos Imobiliários?

O retorno dos fundos pode acontecer pela valorização dos imóveis ou por meio do recebimento dos aluguéis mensais. As duas formas funcionam como nos imóveis físicos. A primeira depende de fatores como localização, qualidade do ativo, preço de costas e andamento de mercado. Enquanto na segunda, o dinheiro do aluguel estará na conta do investidor todos os meses. Esse valor é isento de tributos, ou seja, é possível aproveitá-lo para custear suas despesas ou fazer reinvestimentos.

Fundos Imobiliários que mais se valorizaram em 2019

·         MGFF11 (Mogno Fundo de Fundos);

·         XPML11 (XP Malls);

·         VISC11 (Vinci Shopping);

·         HGBS11 (Hedge Brasil Shopping);

·         SDIL11 (SDI Rio Bravo Renda Logística);

·         VRTA11 (Fator Verità);

·         HGLG11 (CSHG Logística);

·         XPLG11 (XP Logística);

·         BCFF11 (BTG Fundo de Fundos).

Os melhores Fundos Imobiliários para investir em 2020

As previsões para o setor imobiliário são positivas. Ao que tudo indica, ainda neste ano, haverá a valorização do metro quadrado, que junto ao aquecimento da economia tendem a favorecer o setor.

Há a possibilidade de mais administradoras de fundos focarem em novas aquisições e reformas de shoppings. Desse modo, os FIIs de shoppings devem se beneficiar com a retomada do mercado.

Os galpões logísticos, localizados próximos aos grandes centros ou que possuam infraestrutura de entrega rápida também podem valorizar, já que as compras online estão cada vez mais em alta. Fundos Imobiliários de escritórios e lajes corporativas podem ser favorecidos através do aumento da confiança do empresário, como ocorreu ano passado.

Por fim, podemos citar os fundos híbridos e de papel, pois mesmo os juros da economia estando em um patamar baixo, as empresas tendem a emitir CRIs e os bancos, as LCIs. 

Portanto, os melhores Fundos Imobiliários para investir em 2020 são os que apresentam crescimento contínuo. 

O Coronavírus pode afetar os fundos imobiliários?

Que os últimos dias têm sido de muita tensão devido à propagação do coronavírus todos já sabem. Mas e os investidores, como ficam nessa história? O Bovespa acumulou uma queda maior que 40% e para os fundos imobiliários não foi diferente.

O mercado financeiro está passando por um momento difícil, especialmente para os que investem em ativos de renda variável. O cenário é de alta oscilação e forte queda nos preços.

Contudo, o IFIX (índice de fundos imobiliários da bolsa), apresentou menor volatilidade se comparado às ações, com recuo mais ameno. Visto isso, será que a crise do vírus pode atingir os fundos imobiliários?

Para saber mais sobre os impactos nos FIIs, continue a leitura do tópico a seguir!

Como o coronavírus pode impactar os fundos imobiliários?

Embora o contágio do vírus tenha aumentado no Brasil, ao que tudo indica, os impactos serão limitados para os fundos imobiliários. Isso porque os imóveis que pertencem aos fundos estão localizados no país e pouco expostos ao mercado externo.

No entanto, diante de muitas incertezas e aversão aos riscos, não será uma surpresa se o preço dos papéis de curto prazo sofrerem alteração, e é bem provável que isso aconteça.

Se a contaminação continuar crescendo em alto nível e consequentemente houver a diminuição no fluxo de pessoas por tempos prolongados, certamente haverá o enfraquecimento operacional e eventuais contratempos nos fundos imobiliários.

Portanto, as possibilidades de atrasos nos pagamentos de aluguéis, concessão de descontos temporários de alguns inquilinos e inadimplências não estão descartadas.

Qual o setor mais prejudicado?

De acordo com a visão geral da XP, caso haja um agravamento da situação, os fundos imobiliários de shoppings seriam os mais prejudicados. Uma vez que a circulação de gente nas ruas e em locais públicos seria prolongada. A partir disso, os lojistas poderiam ter dificuldade nos pagamentos, o que resultaria em pontuais descontos e inadimplências;

Qual o setor que poderia sofrer menos com os impactos?

Acredita-se que os segmentos de galpões logísticos seriam os menos impactados. Primeiro, porque normalmente eles estão fora de grandes centros comerciais e localizam-se em regiões com menor densidade populacional e menor fluxo de pessoas.

Em uma situação em que a pessoa precisa ficar em casa, é natural que ela recorra aos serviços de e-commerce. Esses são totalmente dependentes dos galpões logísticos. Sendo assim, as chances de o setor sofrer impacto são menores perante os problemas causados pelo aumento do coronavírus.

Qual a recomendação da XP para esse momento de crise?

A queda dos preços pode ser uma oportunidade para o rebalanceamento de carteiras. Além disso, Os dividendy ields dos papéis começaram a entrar em patamares mais atrativos. Porém, queremos alertar que, compre de forma moderada e se atente as notícias.

Se necessário, fale com um assessor de investimentos para orientá-lo sobre suas movimentações em meio ao cenário altamente volátil. 

Leia também: 7 erros para evitar na declaração do Imposto de Renda