Transferência de custódia: como transferir investimentos sem precisar resgatá-los

Falha no carreagmento da imagem :(

Por meio da portabilidade de investimentos, todo investidor que já possui investimentos em uma corretora pode transferi-los a outra instituição financeira sem nenhum custo, basta solicitar a transferência de custódia.

Para compreender melhor as questões envolvidas, continue a leitura a seguir:

O que é transferência de custódia?

Transferência de custódia nada mais é que o processo de transferir sua carteira de investimentos de uma instituição para outra. Esses investimentos podem ser tanto de renda fixa, quanto variável. Após a transação, seus investimentos ficarão sob responsabilidade da instituição atual.  Nesse caso, não é necessário realizar resgate e nem pagar impostos. Com a operação concluída, você terá todos os seus ativos e produtos financeiros disponíveis na nova plataforma.

Passo a passo da transferência de custódia

1.    Abra uma conta na instituição de destino;

2.    Preencha o documento de transferência;

3.    Reconheça o documento em cartório;

4.    Tenha o CNPJ da instituição de destino e seu código de cliente;

5.    Envie os documentos exigidos junto a documentação reconhecida para a instituição cedente.

Que ativos podem ser transferidos?

Uma dúvida recorrente entre os investidores é sobre os tipos de ativos que podem ser transferidos. Os mais comuns são: fundos imobiliários, ações e títulos do Tesouro Direto. Para estes, há um modelo de solicitação de transferência de valores mobiliários que necessita ser preenchido e encaminhado para a instituição financeira onde está o dinheiro que o investidor irá transferir. 

Há também a portabilidade de fundos de investimentos, que é possível desde que o mesmo fundo seja distribuído nas duas corretoras (origem e destino). Fundos espelhados com outro CNPJ não podem ser transferidos.

Outros ativos

Apesar de ser um processo mais burocrático, ativos como CDBs, LCIs e LCAs, assim como os fundos de investimentos, também podem ser transferidos. Vale ressaltar que muitas instituições não informam essa portabilidade.

Qual o prazo para transferência de custódia?

O prazo para transferência de custódia de ativos ainda não está definido, mas ao que tudo indica, a tendência é que ele seja curto. É bem provável que a padronização dos formulários de transferência se torne obrigatória ainda neste ano.

Lembrando que na prática, o processo demora cerca de 10 dias, mas a instrução 542 da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) aponta que é recomendado um prazo de 48 horas para a portabilidade de valores mobiliários, sendo dois dias para a instituição cedente e dois dias para a que recebe.

Como escolher a melhor instituição para alocar seus investimentos?

Falar com uma assessoria de investimentos que tenha experiência no mercado pode ser uma boa opção antes de fazer sua escolha. Assim você aloca seus investimentos de modo seguro, além de tomar atitudes mais assertivas, indicadas por quem melhor entende do assunto.

Ainda possui dúvidas sobre transferência de custódia? Deixe seu comentário abaixo e em breve responderemos. 

Aproveite e leia também: Como a crise do coronavírus pode afetar os fundos imobiliários?